Business - E-BusinessFeed de artigos deste autor

Microsoft Navision – Implantação, customização e suporte para empresas Portuguesas

Neste artigo, faremos uma análise sobre os principais pontos referentes à implantação, suporte e desenvolvimento do Navision em Portugal e na maneira como o Brasil pode ajudar a resolver estas questões.

por Arthur Ferretti



A Navision, empresa de desenvolvimento Dinamarquesa, foi comprada pela Microsoft, juntamente com a Great Plains Software. Com estas aquisições, a Microsoft Business Solution passou a oferecer os seguintes ERPs ao mercado: Navision, Great Plains, Solomon e Axapta. Neste artigo, faremos uma análise sobre os principais pontos referentes à implantação, suporte e desenvolvimento do Navision em Portugal e na maneira como o Brasil pode ajudar a resolver estas questões.

Primeiramente, vários fatores devem ser considerados:

  • Unificação das empresas de consultoria - Este processo, que já está completo nos Estados Unidos e se encontra em fase de conclusão na Europa, está intimamente relacionado com a recessão e com o baixo crescimento da economia. Pequenas empresas de consultoria estão se fundindo ou sendo compradas por grandes empresas que oferecem uma grande gama de soluções a seus clientes.

  • Aumento dos valores cobrados pelas consultorias - Devido ao processo de unificação das empresas de consultoria, existe uma série tendência de que os preços cobrados pelas mesmas aumente, fato este que já pode ser observado. Este incremento, segue na contramão da indústria de softwares, uma vez que os produtos oferecidos pela Microsoft Business Solution são direcionados a companhias médias ou pequenas, que não tem estrutura ou capital para adquirir os tradicionais ERPs disponíveis no mercado.

  • Economia recessiva - Com as baixas taxas de crescimento da economia, e a pressão dos preços competitivos, as empresas não conseguem pagar os altos valores cobrados pelas grandes consultorias. Como exemplo, podemos citar o caso de empresas alemãs, que cobram em torno de 1150 euros por dia por consultor, enquanto que as empresas portuguesas só conseguem pagar até 500 euros por dia por consultor

Frente a este cenário, as empresas portuguesas se deparam com algumas possíveis soluções:

  • Postergar novas implantações - geralmente as companhias postergam novas implantações, optando por manter os sistemas legados, ou não fazer as modificações planejadas nos mesmos. Isso gera atrasos de cronogramas e muitas vezes compromete o planos de crescimento da empresa em questão.

  • Utilizar-se de fontes de desenvolvimento na América do Sul - por várias razões, o Great Plains já tem presença forte em alguns países da América do Sul e neste momento estão sendo lançadas campanhas de marketing do Navision, visando aumentar sua presença principalmente no Brasil. Isso seria de grande valia para as empresas portuguesas, pois os valores cobrados pelas consultorias brasileiras que trabalham com estes sistemas são bem mais acessíveis, e podem representar uma boa alternativa, pois além de mais baratas, não apresentam os entraves encontrados pela diferença de idiomas, tão comuns quando se recorrem a consultorias indianas por exemplo.

Desejamos sucesso em sua implantação ou customização, e caso necessite de ajuda ou informações, entre em contato conosco pelo e-mail help@albaspectrum.com.

Arthur Ferretti

Arthur Ferretti - Especialista em Navision e membro da Alba Spectrum Tecnologies, especialista em Navision, Great Plains e CRM, atendendo a clientes em Lisboa, Porto, nas grandes capitais do Brasil e no mundo (www.albaspectrum.com).